Visão geral da inflação e seus tipos: o que é e como controlá-la

Um movimento ascendente de preços de bens e serviços essenciais tem sido testemunhado ultimamente em todo o mundo, chamado de inflação. Por que isto está acontecendo, e há alguma esperança de que a situação melhore? Neste artigo, analisaremos as causas da inflação, seus tipos e as possíveis medidas para controlá-la.

O que é inflação?

O significado mais simples da inflação é um incremento geral ou um aumento dos preços de bens e serviços. Conforme o nível geral de preços sobe, menos bens e serviços podem ser adquiridos por unidade monetária. Ou seja, a inflação está associada a um declínio no poder de compra do dinheiro.

Compreendendo a inflação

Mercado de opções para iniciantes

Os consumidores tendem a gastar mais dinheiro em produtos e serviços quando uma economia cresce. Enquanto a economia estiver em seu ciclo de crescimento, a demanda por bens sempre superará a oferta dos mesmos, fazendo com que os produtores aumentem os preços cobrados pelos produtos, e isto, por sua vez, provoca inflação.

Conforme os preços sobem, menos bens e serviços podem ser adquiridos com uma quantidade maior de dinheiro. O custo de vida do público em geral é afetado por esta perda de poder aquisitivo, o que acaba por retardar o crescimento econômico. Segundo o consenso da maioria dos especialistas, a inflação sustentada acontece quando a oferta de dinheiro de um país se expande mais rapidamente do que sua economia.

É essencial entender que a inflação pode ser moderada, o que sinaliza crescimento econômico, enquanto que se a inflação é extremamente alta, sinaliza uma economia insustentável.

Conhecer as mudanças de preços de um produto individual ao longo do tempo é fácil. Entretanto, não se pode usar um único produto para medir a inflação. Deve haver um impacto sobre as mudanças de preços de várias classes de bens e serviços durante um período para conhecer a taxa de inflação. Isto é pelo menos porque os seres humanos precisam mais do que um único produto ou um serviço para sobreviver e levar uma vida confortável.

Causas da inflação

9 dicas para gerenciar suas emoções de negociação e obter lucros

A principal causa da inflação em uma economia é o aumento da oferta de dinheiro, perseguindo alguns bens e serviços. Em muitos casos, o aumento do custo de produção de bens ou o excesso de demanda por bens e serviços é o principal motor para o aumento da oferta de dinheiro.

Entretanto, as autoridades monetárias de um país também podem desempenhar um papel na inflação e fazer com que o dinheiro perca seu poder de compra:

  • Imprimir moeda adicional e distribuí-la às pessoas.
  • Desvalorizar a moeda de curso legal, embora legalmente.
  • Adquirir títulos do governo de bancos no mercado secundário para criar novos créditos como conta de reserva através do sistema bancário.

Em todas as situações descritas acima, o dinheiro perde seu poder de compra. Os instrumentos de como isso causa inflação permitiram distinguir três tipos de inflação na economia, que discutimos a seguir.

1. Inflação de demanda

O primeiro tipo de inflação é frequentemente causado pela extrema necessidade de bens e serviços por parte dos consumidores. Isto ocorre porque os consumidores têm muito dinheiro, o que aumenta seu desejo de gastar excessivamente. Esta situação ocorre porque a produção de bens e serviços ocorre a uma taxa mais baixa em comparação com a oferta de dinheiro e crédito na economia. Portanto, um aumento na demanda por bens ou serviços inicia um aumento em seus preços.

2. Inflação de custos

O que é diligência devida?

Esta inflação ocorre quando o custo das matérias-primas ou insumos e salários aumentam, causando um movimento ascendente nos preços gerais de bens e serviços. Em alguns casos, é chamada de inflação por pressão salarial.

Quando o custo dos insumos aumenta, a produção se torna cara, levando a uma diminuição do número de bens produzidos e, portanto, a uma redução da oferta agregada na economia.

Uma vez que os consumidores precisam desses produtos, os produtores pressionam o aumento dos custos de produção sobre eles. Ou seja, a inflação dos custos ocorre principalmente quando a demanda dos consumidores por um determinado produto permanece constante quando o preço de sua produção aumenta. 

3. Inflação estrutural

Com o aumento dos preços, as pessoas podem esperar que a atual taxa de inflação continue. Devido a isso, os funcionários podem exigir salários mais altos para continuar a manter seu estilo de vida habitual. Se os salários aumentam, o custo dos bens e serviços também aumenta, e a espiral salários-preços não se quebra, pois um causa o outro, e vice-versa.

4 hacks mentais que mudarão sua negociação para melhor
Você deseja melhorar sua negociação mudando a maneira como enxerga os mercados? Aprenda 4 truques mentais que podem ser aplicados imediatamente.
Ler mais

Tipos de índices de preços

Um índice de preços é a média normalizada das comparações de preços para uma classe específica de bens ou serviços em um determinado local durante um período específico. É uma estatística criada para auxiliar na comparação de como esses parentes de preços, quando considerados coletivamente, variam ao longo do tempo ou entre regiões geográficas.

Os fundamentos de ações e como eles funcionam

Existem diferentes tipos de índices de preços, mas os mais utilizados são: 

  • Índice de Preços ao Consumidor (IPC).
  • Índice de Preços do Atacado (IPA).
  • Índice de Preços do Produtor (PPI).

Vamos ver como cada um funciona.

1. Índice de Preços ao Consumidor (IPC)

O significado do índice de preços ao consumidor é acompanhar as mudanças nos preços de varejo, o que é vital para determinar a taxa de inflação na economia. O IPC é uma das estatísticas econômicas mais cruciais. Ele fornece uma ideia de quanto as coisas custam, contabilizando o custo médio de vida.

O CPI acompanha a variação média dos preços pagos pelos consumidores urbanos ao longo do tempo por uma cesta de mercado dos bens e serviços de consumo mais importantes, tais como alimentos e assistência médica.

O CPI é estimado usando um cálculo muito rigoroso. Ainda assim, a maneira mais simples de derivá-lo é calculando a média das mudanças de preço para cada item em uma cesta pré-determinada com base em seu peso relativo na cesta geral. 

Os preços que são levados em conta são os preços de varejo de cada item, pois estão disponíveis para serem comprados pelos cidadãos comuns. Numerosas categorias e subcategorias foram criadas para classificar os itens de consumo com base em tipos de consumidores como urbano ou rural.

2. Índice de Preços do Atacado (IPA)

O que é uma oferta pública inicial (OPI), e vale a pena investir nela?

Um índice de preços do atacado (IPA) mede as mudanças no preço global das mercadorias antes de sua venda a varejo, e isto inclui os custos cobrados pelos produtores ou fabricantes. O IPA é um indicador de inflação geralmente expresso como uma mudança percentual em relação ao mês anterior ou um ano atrás.

A maioria dos países usam este índice para calcular a inflação ou deflação, ao contrário dos Estados Unidos, que usa o Índice de Preços do Produtor para medir o mesmo.

3. Índice de Preços do Produtor (PPI)

O PPI acompanha a mudança padrão nos preços de venda que os produtores nacionais recebem por sua produção ao longo do tempo. Os preços no PPI provêm da transação comercial inicial de muitos bens e alguns serviços,

A diferença entre o IPC e o PPI é que o PPI mede as mudanças de preço a partir da perspectiva do vendedor, enquanto o IPC mede as mudanças de preço a partir da perspectiva do comprador. Em todas as diferenças, o aumento de preço de um componente pode compensar parcialmente a diminuição de preço de outro.

A fórmula para medir a inflação

Você pode usar os índices acima para determinar o valor da inflação entre dois períodos específicos. Embora existam muitos calculadores de inflação on-line, é essencial entender a metodologia subjacente.

Vamos analisar as etapas para obter a taxa de inflação percentual para dois períodos.

1. Obtenha os dados

O que é um hedge e como utilizá-lo para investir

Entenda o produto que você deseja avaliar e, em seguida, colete suas informações de preço durante um período de sua escolha. Você pode pesquisar o produto ou obter as informações do Bureau de estatísticas de seu país.

2. Apresente as informações coletadas em um gráfico

Crie um gráfico de fácil leitura com os dados que você reuniu. As médias são calculadas mensalmente e anualmente, de modo que seu gráfico pode incluir essas informações.

3. Determine o período

Escolha até onde você quer ir no passado ou no futuro. Os dados também podem ser calculados ao longo de meses, anos ou décadas específicos. Para descobrir o quanto você precisa economizar, você pode tentar prever as taxas de inflação para o momento em que você se aposentar. Por outro lado, você pode estar interessado na taxa de inflação durante os últimos dez anos ou desde que você se formou.

4. Encontre o IPC para uma data anterior

Encontre o IPC para o produto ou serviço que você está analisando em seu gráfico de dados ou um do Bureau como seu ponto de partida.

5. Escolha um IPC para a data posterior

Localize o IPC para uma data posterior, normalmente o ano ou mês atual, enquanto continua a se concentrar no mesmo bem ou serviço.

6. Trabalhe utilizando a fórmula da taxa de inflação

Subtraia o IPC da data anterior do IPC da data atual e divida o resultado pelo IPC da data anterior, depois multiplique os resultados por 100. A resposta é a taxa de inflação expressa como uma porcentagem.

Aqui está a fórmula:

% Taxa de inflação = Data atual IPC – Data anterior IPC * 100

O conceito de consolidação

Vamos tentar calcular a inflação no varejo. Por exemplo, um quilograma de açúcar na Índia era Rs.8 em 2012 e custava Rs.12.5 em 2022. Portanto, Rs.12.5-Rs.8 é igual a Rs.4.5. Divida Rs.4.5 por Rs.8, depois multiplique o resultado por 100 você receberá 56,25%. O que significa que a taxa de inflação na Índia nos últimos 10 anos sobre um quilo de açúcar entre 2012 e 2022 foi de 56,25%.

Vantagens e desvantagens da inflação

A inflação carrega tanto o lado bom quanto o lado ruim. 

Vantagens

As principais vantagens da inflação incluem o seguinte:

  1. Os empregadores podem ajustar os salários

Nenhum funcionário desejaria ou negociaria uma diminuição em seus salários. Quando a inflação é moderada, os salários médios dos funcionários aumentam para que eles possam lidar com o aumento dos preços de produtos e serviços. A inflação é uma forma de os empregadores poderem aumentar os salários de seus trabalhadores produtivos enquanto congelam os salários dos improdutivos.

  1. Previsão de maiores lucros

As pessoas que possuem bens tangíveis, como imóveis ou mercadorias estocadas avaliadas em sua moeda de origem, podem preferir ver alguma inflação, pois isso aumentará o valor de seus bens, que poderão então vender por mais dinheiro.

  1. Encoraja todos os níveis de gastos

Os devedores se beneficiam da inflação porque podem pagar seus empréstimos com fundos menos valiosos do que os fundos que tomaram emprestados. Isto promove a contração e concessão de empréstimos, o que também impulsiona os gastos em todos os níveis.

  1. Aumento da saída/produção
6 dicas úteis para negociar com confiança em todos os mercados

Pensa-se que a inflação aumenta a produção quando a economia não está operando na capacidade total, o que significa que há mão-de-obra não vendida ou recursos inexplorados. Os gastos aumentam quando há mais fundos disponíveis, o que impulsiona a demanda agregada. Para atendê-la, a produção deve aumentar.

  1. Uma vantagem para os investidores do mercado de capitais

A inflação frequentemente leva as empresas a especularem sobre projetos de risco e os indivíduos a investirem em títulos porque esperam retornos mais altos do que a inflação.

Desvantagens

Há várias desvantagens significativas da inflação:

  1. Aumenta o custo de vida

É evidente que à medida que o custo das mercadorias aumenta, os consumidores terão que pagar mais tanto pelas necessidades quanto pelos luxos. Isto pode não ser um problema se a renda aumentar de acordo com a inflação, mas aqueles cujos salários não aumentam enfrentarão preços reais mais altos. Em outras palavras, eles serão obrigados a gastar uma proporção maior de seus ganhos com a mesma quantidade de bens.

  1. Aumenta a desigualdade

Uma das implicações da inflação é que os preços dos ativos sobem. A habitação, o mercado de ações e commodities como o ouro tendem a superar a inflação.

Como se tornar um empreendedor: o guia definitivo

Isto aumenta a desigualdade porque as famílias mais ricas têm mais ativos. Elas possuem mais bens imóveis, ações e outros ativos. Isto significa que quando a inflação ocorre, o preço destes ativos sobe antes do custo de bens de uso diário como pão e leite. Como resultado, eles acabam tendo mais dinheiro para gastar em produtos do que antes. Simultaneamente, as famílias de baixa renda devem gastar mais apenas para sobreviver.

  1. Desencoraja o crescimento econômico e os investimentos a longo prazo

Pensa-se que a baixa inflação promove maior estabilidade e incentiva as empresas a assumir riscos e investir. Isto é devido ao aumento da incerteza e confusão durante períodos de inflação alta.

Controle da inflação

As duas principais formas de controlar a inflação são as políticas monetárias do governo e/ou do banco central e as políticas fiscais.

Políticas monetárias

O banco central aumenta as taxas de juros que terão os seguintes efeitos:

  1. O empréstimo se torna caro, o que incentiva a economia.
  2. Os pagamentos hipotecários aumentam, levando a uma menor renda disponível para gastar. 
  3. As empresas serão impedidas de contrair empréstimos e podem não financiar adequadamente os investimentos, o que resulta em uma menor taxa de crescimento econômico.
  4. Aumenta as taxas de câmbio, o que reduzirá a pressão inflacionária:
  • Importações baratas.
  • Diminuição na demanda geral na economia, reduzindo a demanda de exportação.
  • Motivação das empresas exportadoras para reduzir custos e aumentar a competitividade ao longo do tempo, pois as exportações são menos competitivas que as importações.

Políticas fiscais

5 melhores dicas para futuros investidores

O governo pode cortar gastos e aumentar impostos, tais como imposto de renda e IVA, para diminuir a inflação. Estas medidas ajudam a reduzir a demanda na economia e a melhorar a situação orçamentária do governo, retardando a expansão da demanda geral.

Se a economia está se expandindo rapidamente, a desaceleração do crescimento da demanda agregada pode diminuir as pressões inflacionárias sem desencadear uma recessão. Entretanto, o aumento dos impostos para combater a inflação é politicamente impopular, razão pela qual a política fiscal raramente é usada para controlar a inflação.

Hedging (proteção) contra a inflação

A hedging contra a inflação é investir em ativos que se pensa proteger o poder de compra de uma moeda contra uma perda de valor devido ao aumento dos preços, que pode ser macroeconômico ou devido à inflação. Algumas das formas de se proteger contra a inflação incluem:

1. Investir em ações

Quando os preços das ações sobem, os efeitos da inflação são sempre incluídos; portanto, as ações são consideradas a melhor proteção contra isso. Além disso, como as injeções de crédito bancário através do sistema financeiro são como praticamente todas as economias modernas aumentam a oferta de dinheiro, uma grande parte do impacto imediato sobre os preços ocorre em ativos financeiros avaliados em suas moedas de origem, tais como as ações.

2. Tentar as Treasury Inflation-Protected Securities (TIPS)

7 dicas sobre como superar a dúvida e o medo na negociação

As TIPS são uma categoria de títulos do Tesouro dos Estados Unidos que é projetada para subir de valor em conjunto com a inflação. Por serem apoiados pelo governo federal dos Estados Unidos, são considerados como um dos investimentos mais seguros do mundo.

TIPS aplicam o principal ajustado a uma taxa fixa de juros que é paga duas vezes por ano. Quando há inflação, o principal aumenta, e quando há deflação, ele diminui.

3. Investir em bens imobiliários

Investir no setor imobiliário tem muitos benefícios. Esta classe de ativos oferece renda estável através de dividendos e tem valor intrínseco. Devido à constante demanda por casas, independentemente do estado da economia, e ao fato de que à medida que a inflação aumenta, assim como o valor dos imóveis e as taxas de aluguel, frequentemente serve como uma boa proteção contra a inflação.

Exemplos extremos de inflação

O pior caso de hiperinflação da história ocorreu na Hungria entre 1945 e 1946. A moeda peng húngara diminuiu como resultado de uma política monetária frouxa.

O governo húngaro começou a imprimir dinheiro. Para reduzir o número de zeros e simplificar os cálculos, foram introduzidas 1 milhão de denominações de peng e 1 bilhão de peng.

Os preços dobraram em apenas um dia. Em 1946, o forint, uma nova moeda, foi introduzida, e as ruas ficaram cheias de peng antigo.

5 dicas que podem melhorar suas negociações agora

Outro país que sofreu hiperinflação foi a Alemanha, que foi forçada a pagar reparações em ouro ou moeda estrangeira. A Comissão de Reparações recusou-se a aceitar os Papermarks Alemães, ou “marco”, que estavam rapidamente perdendo valor como resultado da política monetária enganosa do governo alemão.

A Alemanha empregou uma estratégia para imprimir grandes quantidades de marcos e depois usá-los para comprar moeda estrangeira. A hiperinflação começou em agosto de 1921, quando a Alemanha começou a comprar moeda estrangeira para qualquer quantidade de marcos. A taxa de câmbio continuou a cair, exigindo cada vez mais Marcos para comprar moeda estrangeira, e assim mais e mais Marcos foram impressos.

Chegou a um ponto em que as marcas em circulação eram tantas que precisavam ser transportadas em grandes sacos ou até mesmo em carrinhos de mão.

Qual é a taxa de inflação na Índia?

Desde 1960, a inflação na Índia vem aumentando de forma constante, com uma taxa média média de 7,5% ao ano. A partir de agosto de 2022, a taxa de inflação era de 5,9%, o que representa um aumento de 0,8% a partir de 2021.

Se a previsão para os próximos 20 anos, a taxa de inflação da Índia deverá aumentar. 411 rupias indianas equivalerão ao poder de compra de cerca de 741 rupias indianas. Isto acontecerá se a rupia indiana tiver uma taxa de inflação de 3% ao ano até 2042.

O que causa a inflação?

A inflação pode ser causada por qualquer um destes três:

Como se tornar um trader melhor imediatamente: 7 dicas importantes
  • Inflação de demanda: A demanda dos consumidores por bens específicos torna-se muito alta do que os produtores podem produzir, levando ao aumento dos preços.
  • Inflação de custos: O custo de produção de bens ou serviços torna-se muito alto, forçando os produtores a transferir o custo para os consumidores, aumentando o preço.
  • Inflação estrutural: Este tipo de inflação acontece quando os trabalhadores não conseguem atender ao aumento dos preços de bens e serviços, forçando-os a exigir o aumento dos salários. Assim, a empresa também aumenta os preços dos bens para compensar o aumento dos custos salariais.

A inflação é boa ou ruim?

A inflação não é boa nem ruim. É ruim quando sua taxa é muito alta ou muito baixa. Muitos economistas sustentam uma taxa de inflação média de 2% ao ano ou menos, que eles consideram baixa a moderada.

Enquanto uma inflação alta pode ser prejudicial, uma inflação muito baixa também pode prejudicar a economia. Quando isso acontece, o Banco Central baixa as taxas de juros ou compra ativos para aumentar a circulação de dinheiro para facilitar o empréstimo de dinheiro para as pessoas e estimular a atividade econômica.

Quais são os efeitos da inflação?

O impacto mais difundido e primário da inflação é a erosão do poder de compra do consumidor. Com o tempo, um aumento geral do preço reduz o poder de compra porque uma quantia fixa de dinheiro permite um consumo progressivamente menor. Os consumidores perdem poder de compra independentemente de a inflação ser de 2% ou 4%, mas quanto mais alta a taxa, mais rápido eles a perdem.

As pressões inflacionárias desencorajam a economia porque corroem o poder de compra da economia ao longo do tempo. Esta possibilidade pode induzir os consumidores a gastar e as entidades corporativas a investir.

7 dicas para evitar negociar o P&L

Além disso, algumas commodities, como imóveis e colecionáveis, aumentam os preços durante a inflação. Enquanto a inflação reduz o custo real das hipotecas de taxa fixa, os locadores podem compensar esta perda através do aumento dos aluguéis.

Por que a inflação está tão alta neste momento?

A alta taxa de inflação atual pode ser atribuída a vários fatores. O primeiro é uma pandemia que começou em 2020. Devido aos bloqueios em seu início, os consumidores começaram a gastar menos e a economizar mais dinheiro. As pessoas começaram então a fazer compras maiores, uma vez que as restrições foram levantadas.

As empresas, no entanto, não conseguiram atender a esse aumento da demanda dos clientes porque muitas delas tiveram que reduzir a produção, o que resultou em atrasos no envio, escassez de mão-de-obra e falta de insumos essenciais. O resultado disto é, naturalmente, custos mais altos para a maioria dos bens e serviços.

A inflação aumentou em 2022 como combustível, e uma grande quantidade de outros bens da Rússia veio em quantidades limitadas.

Conclusão

O aumento dos preços de bens e serviços é normal e não deve causar preocupação, pois é para o bem da economia, a menos que em casos extremos. Desde que as autoridades monetárias de um país possam controlar a inflação, ela deve trabalhar para o desenvolvimento da economia e não prejudicar os consumidores.

Curtir
Compartilhar
Copiar link
Link copiado
Go
Clique em Girar e deixe a roda escolher seu artigo do dia!
ARTIGOS RELACIONADOS
4 min
Manipulação do mercado de ações em resumo
6 min
O que é equity? Significado, definição e exemplos
4 min
O que fazer se você se sentir pronto para desistir de negociar: 6 dicas importantes
3 min
O que é a GBP?
4 min
10 dicas úteis para traders de tempo fixo
5 min
7 dicas úteis para ajudá-lo a evitar o overtrading

Abrir esta página em outro app?

Cancelar Abrir