Como planejar, compartilhar e gerenciar o orçamento familiar?

Planejar e gerenciar um orçamento familiar é algo que dificilmente é ensinado na escola, mas essa habilidade de alfabetização financeira é incrivelmente útil. Isso permite que você use o dinheiro de forma mais racional, reservando grandes quantias para grandes compras necessárias ou para outros fins.

Curiosidade: segundo as estatísticas, 62% do orçamento geralmente vai para custos fixos (alimentação e utilidades), 18% para despesas regulares (transporte, vestuário, produtos de higiene), outros 7% vão para tratamento e medicamentos, 5% despesas esporádicas (recreação, compra de várias bugigangas). O restante +-8% é algo que pode ser adiado ou investido.

20 ideias de como encontrar e usar fluxos de renda extra

Porém, com um bom planejamento orçamentário, esse percentual pode ser aumentado sem reduzir a qualidade de vida da família.

Tipos de orçamento familiar

Cada família tem sua própria maneira de administrar o dinheiro. Às vezes, uma pessoa administra tudo, em outros casos, as decisões são tomadas em conjunto. Estes são os tipos de orçamento familiar mais comuns:

  1. Conjunto. As finanças de todos os membros da família são reunidas para pagar as despesas. Nesta opção, não importa quem ganhou quanto, pois todos os fundos são comuns.
  2. Separado. Cada um dos membros da família administra seu dinheiro de forma independente, sem se reportar aos demais. As despesas são pagas por acordo. Por exemplo, um marido pode cuidar dos pagamentos da hipoteca e uma esposa pode cuidar das compras. 
  3. Misto. Cada um dos membros da família contribui com sua parte para o orçamento total. Pode ser o mesmo valor para todos, ou uma certa porcentagem da renda. O dinheiro compartilhado é usado para pagar despesas conjuntas, como aluguel e mantimentos. O restante dos fundos é distribuído de forma independente.

Não se pode dizer que qualquer uma das opções funcione melhor — cada família tem suas próprias regras. O principal é que todos os participantes estejam satisfeitos com a forma como o orçamento é gerido.

Por que planejar e gerenciar um orçamento familiar?

Aqui estão os benefícios do planejamento:

6 dicas de como se livrar do vício em compras
  • alcançar grandes objetivos financeiros (se a renda não for tão alta que você possa pagar aquisições sérias a qualquer momento, você precisa economizar dinheiro e, para fazer isso de maneira eficaz, é necessário planejar o orçamento);
  • a formação de um airbag para casos imprevistos (doença, perda de emprego e outras surpresas sempre levam a custos adicionais – o planejamento financeiro permite que você se prepare para esses casos criando um “fundo de reserva”);
  • otimização de custos (pequenas compras não planejadas compõem uma parte significativa dos gastos da família, e manter um plano ajuda a encontrar pontos fracos e redistribuir os fluxos financeiros de forma mais competente).

É por isso que a importância do orçamento familiar não pode ser subestimada!

11 citações que podem mudar sua negociação
Confira estas poderosas pepitas de sabedoria de traders, economistas e empresários famosos.
Ler mais

Como gerenciar um orçamento familiar?

Claro que o mais difícil na gestão de um orçamento familiar é ser sistemático. Entretanto, isso não requer muito tempo. Em primeiro lugar, escolha uma maneira conveniente para você e que seja fácil de encaixar em sua rotina diária:

Go
Clique em Girar e deixe a roda escolher seu artigo do dia!
  • anotações manuscritas (notebook ou caderno são opções clássicas para pessoas acostumadas a esse método de planejamento);
  • Planilhas Excel ou Google (você pode personalizar a tabela como quiser e as fórmulas agilizam o cálculo, além de sempre poder baixar modelos de orçamento familiar prontos para tabelas);
  • aplicações especiais (CoinKeeper, Monefy, Money Lover e assim por diante).

Escolha qualquer um dos métodos, mas lembre-se de registrar seus gastos todos os dias. Escolha um horário específico (por exemplo, antes de ir para a cama), defina um lembrete em seu smartphone e anote regularmente as despesas e os componentes do orçamento familiar — isso se tornará um hábito e não levará mais de 5 minutos.

Como planejar um orçamento familiar?

No entanto, usar um processo de planejamento passo a passo pode ser um pouco mais claro:

Como alcançar a independência financeira
  1. Por um mês, basta registrar todas as receitas e despesas. A principal tarefa é descobrir se o saldo converge e quanto dinheiro livre permanece.
  2. No final do mês, analise as principais categorias em que o dinheiro é gasto. Calcule quantos por cento do orçamento cabe em cada categoria. A maneira mais conveniente de fazer isso é com os melhores aplicativos de orçamento familiar.
  3. Analise as despesas, identificando aquelas desnecessárias. Redistribua os custos, excluindo os supérfluos e adicionando os desejados.
  4. Faça uma lista de metas financeiras para o próximo mês — formule-as de forma que sejam compreensíveis e alcançáveis. Por exemplo, “Não compre café no caminho para o trabalho, guarde esse valor diariamente para as férias”.
  5. Durante todo o próximo mês, continue registrando despesas e receitas, mas já levando em consideração novas metas. Após a sua conclusão, você precisa entender o que funcionou e o que não funcionou.

Geralmente, leva de três a quatro meses para se acostumar com o orçamento. Então, organize o processo e logo ele se tornará uma parte familiar da vida!

Curtir
Compartilhar
Copiar link
Link copiado
ARTIGOS RELACIONADOS
5 min
Como não falir na Black Friday
6 min
Como ensinar seus filhos sobre finanças
4 min
7 dicas de como parar de gastar dinheiro com promoções
4 min
7 hábitos destrutivos de pessoas que estão sempre com pouco dinheiro
4 min
Quais são os benefícios da educação financeira
4 min
6 dicas sobre como gastar renda extra ou inesperada com inteligência

Abrir esta página em outro app?

Cancelar Abrir