Como as lojas trapaceiam nas vendas

Os comerciantes estão sempre procurando uma maneira de lucrar em cima de seus clientes. Sejam promoções ou margem de lucros duvidosas, eles sempre trazem algum benefício para o vendedor. Os clientes tendem a aceitar esses truques com bastante facilidade – a maioria deles parece comum e insuspeita. O método mais comum é uma loja aumentar ligeiramente os preços algumas semanas antes da venda, para posteriormente baixar o preço. Pode até acabar mais alto que o preço original, mas é passado como muito baixo. Na maioria das vezes essa estratégia é usada com descontos menores de 10% a 30%. Mas se a etiqueta do preço destoa com desconto de 90%, o desconto provavelmente será real, mas não tão grande quanto anunciado – cerca de 30-40%.

Mas algumas vezes os clientes se vingam da indústria varejista, como um casal da Virgínia que recentemente se declarou culpado de ter utilizado 13 mil cupons, o que incorreu na perda de $31mi para os vendedores do varejo. Na maioria das vezes, porém, os varejistas têm a mão vencedora. Vamos ver como eles fazem isso.  

Imitando descontos 

Como você provavelmente sabe, o mundo não é perfeito: sempre haverá alguém tentando ganhar dinheiro de forma desonesta. Algumas lojas não hesitam em trapacear durante as vendas. Um pouco antes de lançar uma venda, eles reescrevem as etiquetas de preço, superfaturando deliberadamente os itens e descontando esse novo preço. Como resultado, o valor final pode ser maior que o original! Às vezes, novas etiquetas de preço são coladas diretamente por cima das antigas. Não tenha preguiça de realizar “escavações” nas etiquetas de preço, até chegar na mais barata.

Exigir prova de defeitos 

Se as mercadorias estiverem com defeito ou quebradas, você pode devolvê-las. A loja pode verificar a qualidade das mercadorias ou realizar uma inspeção. Se a avaria ocorreu durante o período de garantia, o vendedor deve inspecioná-los às suas próprias custas. Você não precisa provar nada.

O comprador deverá, entretanto, pagar pela inspeção se a garantia tiver expirado ou se não concordar com os resultados da inspeção do vendedor.

Vendendo as tendências da temporada passada 

Por um ano inteiro você sonhava com o Vestido Mais Elegante que todo mundo tinha, mas a o preço não coube no seu orçamento. Então você acidentalmente você o encontrou em promoção. Sem acreditar em sua sorte, você experimentou e descobriu que também se encaixa perfeitamente… Mas este vestido (ou qualquer outra peça de roupa), que estava na moda na temporada passada, provavelmente já ficou obsoleto agora.

Criando filas falsas na entrada 

A tática da maioria das lojas é colocar mercadorias antigas a preços mais baratos bem perto da entrada: multidões de compradores atraem outros possíveis clientes passando próximo da loja do shopping. Publicidade perfeita de graça! Não caia nesses truques e vá direto para as prateleiras mais distantes – tudo o que você quer provavelmente está lá.

Outra armadilha espera por você ao lado das caixas registradoras para pagar. Pequenas mercadorias atrativas são colocadas lá para clientes entediados que esperam na fila.

Itens sem desconto no mix 

Um dos truques mais comuns é vender produtos a preços normais sob o sinal de venda. Pensando que o desconto vale para todas as mercadorias na loja, os clientes não percebem que estão comprando um item pelo preço integral, ou prestam atenção apenas quando recebem o recibo. Sinta-se à vontade para devolver o item à loja ou cancelar a compra diretamente no caixa.

Vale presente não reembolsáveis 

As lojas constantemente apresentam regras que limitam o direito de uso do vale presente ou “gift card”: definir um período de uso ou proibir seu resgate na loja.

O vale-presente também está sujeito às regras de troca ou devolução: também é um produto. Se você não usou o vale, pode devolvê-lo, às vezes – mesmo que tenha expirado.

Como você pode se proteger? 

  • Compre apenas em lojas com reputação e nunca caia em ofertas tentadoras de lojas desconhecidas.
  • Compre por meio de marketplaces: Amazon, AliExpress, Zalando e muitos outros. As lojas nesses sites passam por uma inspeção preliminar pela plataforma, que permite cortar parceiros não confiáveis.
  • Não transfira os dados do seu cartão bancário para terceiros e monitore cuidadosamente onde e quais dados uma loja solicita. Houve casos em que os golpistas criaram uma cópia completa de lojas conhecidas para receber fundos fraudulentamente dos cidadãos.
  • Não se deixe enganar por descontos tentadores e ofertas “lucrativas”! É melhor gastar alguns minutos e comparar os preços em outras lojas ou online do que pagar o preço de um vendedor ganancioso.

Compartilhar
Copiar link
Link copied
ARTIGOS RELACIONADOS
5 min
Como acompanhar as despesas: 5 melhores ferramentas
5 min
Quanto do seu salário você deve economizar?
4 min
8 hábitos a serem superados para alcançar a estabilidade financeira
5 min
Como se preparar financeiramente para a paternidade: 7 dicas que você precisa saber
3 min
Quais hábitos fazem seu dinheiro desaparecer
4 min
Quais são os benefícios da educação financeira